Benefício Língua Estrangeira

Os 5 benefícios de falar muito bem uma segunda língua

Nenhum comentário

O título já diz tudo: estamos falando sobre o tema “falar muito bem uma segunda língua”. Ou seja, não estamos falando sobre o assunto “escrever muito bem uma segunda língua” ou “saber muito bem as regras gramaticais de uma segunda língua”.

Então, eu me pergunto, por que hoje ainda muitas vezes uma língua estrangeira é ensinada principalmente passando regras gramaticais e escrevendo textos desconectados da realidade, mas não deixando os alunos treinarem de forma motivadora a fala do outro idioma?

Mas, antes de mostrar caminhos alternativos para o decoreba de regras gramaticais e a leitura de textos sem conexão real ao mundo das crianças e adolescentes do século XXI, coloco abaixo o resumo de dois artigos do “The Economist” e “World Economic Forum”, que apresentam os 5 benefícios de aprender muito bem uma segunda língua. Utilizo aqui o termo “muito bem” para deixar claro que não precisa ser necessariamente um bilíngue para obter todos esses benefícios (embora ser bilíngue por si só já represente uma vantagem significativa):

  1. Socioemocionais: você se torna mais resiliente, empático e ágil, entendendo melhor os outros;
  2. Bem-estar/saúde: além das habilidades cognitivas mais desenvolvidas, por exemplo, mudar rapidamente de uma tarefa para outra, você adia doenças como demência ou Alzheimer em quase 5 anos (!);
  3. Financeiros: na média, o seu salário aumenta 2%. No caso de aprender Alemão resulta num salário quase 4% mais alto, o que significa em 40 anos de trabalho que você tem uma aposentadoria adicional de R$ 128.000,00, caso você tenha um salário anual de R$ 45.000,00. Nada mal, não é? Vale a pena ressaltar que estamos falando aqui da realidade dos Estados Unidos. Um exercício interessante seria, portanto, pensar a respeito do cenário atual brasileiro;Languages Bonuses The Economist
  4. Culturais: você entende melhor a perspectiva de outras culturas, o que começa com uma viagem internacional mais rica e pode até ajudar num objetivo tão nobre como o alcance da paz mundial. Por que não refletir mais a respeito disso?
  5. Trabalho: você trabalha melhor em equipes e está mais preparado para relações internacionais de negócio.

Para quem quiser se aprofundar com mais detalhes no assunto, seguem abaixo os dois links para artigos da revista semanal britânica “The Economist” e do “World Economic Forum (WEF)”, que abordam a questão de uma perspectiva econômica, o que agrega bastante valor à discussão pedagógica, já que acabamos de aprender que o olhar de uma perspectiva diferente é um beneficio que representa muito valor no mundo atual.

Voltando à questão da importância de promover a fala dos alunos, não consigo deixar de enfatizar esse ponto tão importante: o professor que negligencia o treino diário dos alunos em relação à comunicação está cometendo um crime sério. É fundamental um adolescente saber se expressar bem não somente na escrita, mas também na hora de pedir um bilhete no guichê de uma estação de metrô em Nova Iorque.

Uma estratégia excelente que promove a comunicação respeitosa é a organização de debates sobre assuntos atuais. Dois alunos de um lado argumentam a favor de uma questão, dois alunos do outro lado contra. Na minha escola, alunos do Ensino Médio debateram recentemente a seguinte pergunta em Alemão: “O governo da Alemanha deveria incentivar a compra de carros elétricos com dinheiro público?” Os alunos não só aprenderam a pesquisar um assunto complexo, como também treinaram competências sociais como “ouvir o outro e incluir a fala do outro no seu próximo argumento”. Aliás, os debates têm o apoio do governo alemão e se chamam “Jugend debattiert”.

E no seu caso, seja como cidadão bilíngue, professor de idiomas ou aluno engajado, como você enxerga essa questão?

http://www.economist.com/blogs/prospero/2014/03/language-study

https://www.weforum.org/agenda/2017/04/the-benefits-of-speaking-more-than-one-language?delete_local=new&utm_content=buffer62a1f&utm_medium=social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer

***

Andreas Panse é suíço e mora no Brasil desde 2005. Formado em Pedagogia pela Universidade de Zurique, atua como consultor pedagógico na Escola Suíço-Brasileira. Leia mais…
Compartilhar

Deixe uma resposta